Bunker One inicia testes de biodiesel em embarcações no Brasil



17.01.2022

A Bunker One, multinacional de origem dinamarquesa que atua no fornecimento de combustíveis marítimos, inicia nesse mês os testes com biodiesel em parte de sua frota de navios no Brasil. O presidente da Bunker One no país, Flavio Ribeiro, conta que o objetivo dos testes, neste momento, é contribuir para a homologação internacional do biocombustível e para que o Brasil se consolide, no futuro, como exportador do produto.

Ribeiro explicou, em entrevista ao jornal Valor Econômico, que a Organização Internacional para Padronização (ISO, na sigla em inglês) já reconhece que o biodiesel pode ser misturado ao diesel marítimo, no teor de 7%, sem que haja perda de qualidade ou de especificação. O uso do biocombustível em escala comercial ainda depende, contudo, de ajustes na norma da IMO que impõe limites de emissões de óxidos de nitrogênio (NOx). A expectativa é que o assunto seja pautado na organização em 2022.

O executivo conta que uma mistura B7 no óleo combustível marítimo representa um potencial de demanda global de 14 milhões de toneladas/ano de biodiesel. No caso da mistura ao diesel marítimo, esse potencial é de 3,7 milhões de toneladas por ano.

A introdução do biodiesel na indústria de navegação abre um novo mercado para as usinas brasileiras, sobretudo num momento em que os produtores operam com capacidade ociosa. O governo reduziu o percentual de mistura do biodiesel no diesel, no setor de transporte rodoviário, para 10% em 2022 – o mandato atual é de 10%.

A indústria mundial de navegação está, hoje, numa corrida por soluções de descarbonização. O uso do gás natural liquefeito (GNL) e a eletrificação dos navios são algumas das alternativas sobre a mesa. Ribeiro acredita que o biodiesel possui como diferencial o fato de ser consumido sem necessidade de troca de maquinário.

Fonte: Jornal e site Valor Econômico



Ver todas
Voltar